2022 Revista – vol. 24, n. 1

ARTIGO 1

Diretrizes globais para prática da hipertensão da Sociedade Internacional de Hipertensão 2020

Global guidelines for hypertension practice from the International Society of Hypertension 2020

Frida Liane Plavnik

Resumo

As diretrizes da ISH apresentam como diferencial às demais diretrizes internacionais e nacional, a diferenciação entre medidas essenciais e ideais, para permitir uma abordagem mínima da população. O objetivo desta diretriz é que as recomendações possam ser aplicadas globalmente, além de serem adequadas para uso em locais com diferentes níveis de recursos e ser ao mesmo tempo concisa, simplificada e de fácil utilização. Mantém a definição de hipertensão arterial como níveis pressóricos 140 mmHg e/ou 90 mmHg, e simplifica o estadiamento da hipertensão arterial em dois estágios (estágio 1: 140-159 mmHg/90-99 mmHg e estágio 2 160/100 mmHg), à semelhança de outras diretrizes internacionais, indicando que se confirmada o tratamento farmacológico pode ser iniciado. Em relação à meta de pressão arterial as diretrizes da ISH consideram essencial redução de pelo menos 20/10 mmHg, idealmente abaixo de 140/90 mmHg, mas a meta ideal nos pacientes com < 65 anos é < 130/80 mmHg, enquanto naqueles com 65 anos é de < 140/90 mmHg. O tratamento farmacológico ideal baseia-se no uso de combinações de doses fixas de dois agentes, mas entende que o essencial deve ser o uso dos medicamentos disponíveis, em combinações livres, de modo a se atingir a meta o mais precocemente possível, isto é, em 3 meses de sua instituição. Esse conceito de essencial e ideal permite que diferentes regiões sigam as recomendações, sem haver prejuízo aos pacientes, considerando-se a disponibilidade das ferramentas de avaliação e instituição dos tratamentos para redução do impacto da hipertensão arterial na morbimortalidade cardiovascular. Esse texto é totalmente baseado nas diretrizes da ISH, conforme citação prévia.

Palavras-chave: diretriz, hipertensão arterial, diagnóstico, avaliação do paciente, metas pressóricas, tratamento.

Abstract

Current ISH guidelines has a differential to other international and national guidelines, the differentiation between essential and optimal measures, to allow a minimum approach of the population. The purpose of this guideline is be applied globally, and suitable for use in locations with different levels of resources and be both concise, simplified and user-friendly. It maintains the definition of hypertension as blood pressure levels 140 mmHg and/or 90 mmHg, and simplifies the staging of arterial hypertension in two stages (stage 1: 140-159 mmHg/90-99 mmHg and stage 2 160/100 mmHg), similar to other international guidelines, indicating that if confirmed pharmacological treatment can be initiated. Regarding the blood pressure target, the ISH guidelines consider a reduction of at least 20/10 mmHg, ideally below 140/90 mmHg, but the ideal goal in patients aged < 65 years is < 130/80 mmHg, while in those aged 65 years is < 140/90 mmHg. Optimal drug treatment is based on the use of fixed-doses combination, but understands that the essential should be the use of available drugs, in free combinations, in order to reach the goal as early as possible, that is, in 3 months of their institution. This concept of essential and ideal allows different regions to follow the recommendations, without harm to patients, considering the availability of evaluation tools and institution of treatments to reduce the impact of hypertension on cardiovascular morbidity and mortality. This text is fully based on the ISH guidelines, as previously cited.

Keywords: guidelines, high blood pressure, diagnosis, evaluation, blood pressure targets and treatment.

ARTIGO 2

Resumo das diretrizes das Sociedades Europeias de Cardiologia e Hipertensão: a força-tarefa para a gestão da hipertensão arterial da Sociedade Europeia de Cardiologia e da Sociedade Europeia de Hipertensão

Summary of “2018 ESC/ESH guidelines for the management of arterial hypertension: The task force for the management of arterial hypertension of the European Society of Cardiology and the European Society of Hypertension”

Luis Cuadrado Martin

Resumo

As diretrizes para o manejo da HA de 2018 da European Society of Cardiology/European Society of Hypertension são sumarizadas neste artigo, que pretende unicamente transcrever as recomendações contidas de maneira a facilitar sua difusão. Essas diretrizes definem hipertensão como o limiar terapêutico de ≥ 140/90 mmHg para todos os pacientes, exceto os de idade superior a 80 anos e virgens de tratamento, nos quais o limiar da pressão arterial sistólica é de ≥ 160 mmHg. As metas são de < 140 x 90 mmHg, porém após atingidas essas metas, de maneira geral, deve-se tentar reduzir para < 130/80 mmHg quando bem tolerado. Quanto à terapêutica medicamentosa inicial, com o objetivo de simplificar o tratamento com aumento de adesão, menor inércia terapêutica e tempo menor até atingir a meta, recomenda-se iniciar com associação de drogas em um único comprimido de dose única diária. Esse comprimido deve conter um inibidor da enzima conversora ou bloqueador do receptor da angiotensina, associado a um diurético ou bloqueador de canais de cálcio.

Palavras-chave: hipertensão arterial, diagnóstico, tratamento.

Abstract

The 2018 guidelines for the management of arterial hypertension of the European Society of Cardiology/ European Society of Hypertension are summarized in this paper, which the aim is to transcribe the recommendations in order to facilitate its dissemination. These guidelines define hypertension as the therapeutic threshold of ≥ 140/90 mmHg for almost all patients, except those over 80 years of age and treatment-naive, in whom the systolic blood pressure threshold is ≥ 160 mmHg. Targets are < 140 x 90 mmHg, but once these targets have been achieved, a general attempt should be made to reduce to < 130/80 mmHg when well tolerated. As for the initial drug therapy, with the aim of simplifying the treatment to increase the adherence, reduce the therapeutic inertia and decrease time to reach the goal, it recommends starting with a combination of drugs in a single pill of a single daily dose. This tablet must contain an angiotensin-converting enzyme inhibitor or angiotensin receptor blocker, combined with a diuretic or calcium channel blocker.

Keywords: arterial hypertension, diagnosis, treatment.

Artigo 3

Comentários sobre a diretriz para a prevenção, detecção, avaliação e manuseio da hipertensão arterial em adultos da American College of Cardiology/American Heart Association

Comments on the guideline for the prevention, detection, assessment and management of hypertension in adults American College of Cardiology / American Heart Association

Rogerio Baumgratz de Paula, Frida Liane Plavnik

Resumo

Em 2014, o American College of Cardiology e a American Heart Association, emparceria com várias sociedades profissionais, iniciaram uma diretriz sobre a prevenção, detecção, avaliação e tratamento da hipertensão arterial (HA) em adultos. Essas orientações, baseadas em métodos sistemáticos para avaliar e classificar evidências, fornecem uma pedra angular para cuidados cardiovasculares de qualidade. Os autores enfatizam que “A diretriz destina-se a definir práticas que atendam às necessidades dos pacientes, na maioria, mas não em todas as circunstâncias, e não deve substituir o julgamento clínico”. Reforçam que a eficácia só é possível quando seguida por ambos: profissionais da saúde e pacientes. A adesão às recomendações deve ser reforçada pelo compartilhamento de decisões entre médicos e pacientes, com base em valores individuais, preferências e condições associadas e comorbidades. Na presente publicação, é nosso objetivo discutir os aspectos mais relevantes da diretriz, restringindo-nos, em particular, à nova classificação proposta para o diagnóstico e tratamento da HA, classificação essa que difere da maioria das diretrizes mundiais, ao reduzir os pontos de corte para diagnóstico de HA e suas consequências para a abordagem terapêutica. Para os demais capítulos, recomendamos a consulta ao texto completo.

Palavras-chave: diretriz, hipertensão arterial, classificação, diagnóstico, tratamento.

Abstract

In 2014, the American College of Cardiology and the American Heart Association, in partnership with several professional societies, initiated a guideline on the prevention, detection, assessment, and treatment of high blood pressure (AH) in adults. The guideline, based on systematic methods for evaluating and ranking evidence, provides a cornerstone for quality cardiovascular care. The authors emphasize that “The Guideline is intended to define practices that meet the needs of patients in most, but not all, circumstances and should not be a substitute for clinical judgment” and reinforce that its effectiveness is only possible when followed by both parties: health professionals and patients. Adherence to recommendations must be reinforced by sharing decisions between physicians and patients, based on individual values, preferences and associated conditions, and comorbidities. In the present publication, our objective is to discuss the Guidelines most relevant aspects, in particular the classification proposed for the diagnosis and treatment of AH, a classification that differs from most of the world guidelines, by reducing the cut-off points for the diagnosis ofAHand its consequences for the therapeutic approach. For the other chapters, we recommend consulting the Guidelines full text.

Keywords: guideline, arterial hypertension, classification, diagnosis, treatment.

Artigo 4

Guia para tratamento farmacológico da hipertensão em adultos da Organização Mundial de Saúde – 2021

Guide for pharmacological treatment of hypertension in adults from the World Health Organization – 2021

Luiz Aparecido Bortolotto

Resumo

O guia de tratamento farmacológico de hipertensão arterial da Organização Mundial de Saúde lançado em 2021 trouxe atualizações sobre as recomendações de tratamento anti-hipertensivo para serem aplicadas em todo o mundo, sobretudo em países com menos recursos, visando à redução do impacto global da doença. Os principais destaques do guia foram: 1) o início da terapia para valores < 140/90 mmHg para todos ou para valores de pressão arterial sistólica entre 130-139 para aqueles com doença cardiovascular presente; 2) a estratificação de risco cardiovascular com equações factíveispara todos os pacientes; 3) a escolha da terapia inicial entre as três principais classes terapêuticas (diuréticos tiazídicos, bloqueadores de canais de cálcio, inibidores do sistema renina-angiotensina-aldosterona); 4) uso da terapia combinada mais precocemente, sobretudo em combinação fixa em único comprimido, para facilitar a adesão e persistência ao tratamento; 5) meta pressórica < 140/90 mmHg para todos hipertensos e pressão sistólica < 130 mmHg para os pacientes com doença cardiovascular; 6) intervalo de consultas mensais até atingir a meta e, de 3 a 6 meses quando a pressão estiver controlada; 7) papel da equipe multiprofissional no manejo farmacológico do paciente hipertenso.

Palavras-chave: hipertensão arterial, tratamento farmacológico, combinação fixa, risco cardiovascular, equipe multiprofissional.

Abstract

The pharmacological hypertension treatment guide of World Health Organization released in 2021 has brought updates on antihypertensive treatment recommendations to be applied worldwide, especially in low-income countries, to reduce the impact of the disease worldwide. The main highlights of the guide were: 1) the initiation of therapy for values < 140/90 mmHg for all or for systolic blood pressure values between 130-139 mmHg for those with cardiovascular disease; 2) cardiovascular risk stratification for all patients with feasible equations; 3) the choice of initial therapy among the three main therapeutic classes (thiazide diuretics, calcium channel blockers, renin-angiotensin-aldosterone system inhibitors); 4) use of combination therapy earlier, especially in a single-pill fixed combination, to facilitate adherence and persistence of the treatment; 5) blood pressure < 140/90 mmHg for all hypertensive patients and systolic blood pressure < 130 mmHg for patients with cardiovascular disease; 6) monthly interval between consultations until reaching the goal, and from 3 to 6 months when controlled blood pressure; 7) role of the multidisciplinary team in the pharmacological management of the patient.

Keywords: arterial hypertension, pharmacological treatment, fixed combination, cardiovascular risk, multiprofessional team.

Artigo 5

Recomendações de exercício físico na hipertensão arterial: convergências entre as diretrizes Brasileira (DBHA), Americana (AHA), Internacional (ISH) e Europeia (ESC) de Hipertensão

Exercise Guidelines for hypertension: convergences between Brazilian, American, International and European guidelines of hypertension.

Sandra L Amaral, Leandro de Campos Brito, Claudia ML Forjaz

Resumo

O objetivo deste trabalho foi analisar detalhadamente as convergências encontradas sobre as recomendações de exercício físico na hipertensão arterial entre as diretrizes brasileira, americana, internacional e europeia. Foi possível observar que todas as diretrizes de tratamento da hipertensão arterial destacam o nível insuficiente de atividade física como um importante fator de risco para desenvolvimento da hipertensão arterial e somente a brasileira considera também o comportamento sedentário como fator relevante. As 4 sociedades consideram a importância de se praticar o exercício aeróbico regularmente, por pelo menos 150 min por semana. O exercício resistido dinâmico aparece como atividade complementar ao aeróbico em todas as diretrizes, mas na europeia e internacional ele é somente citado e não aparece no quadro de recomendações. Pode-se concluir que as recomendações de prática de exercício apresentadas nas quatro diretrizes são convergentes em diversos pontos com a diretriz brasileira, fornecendo mais detalhamento para a prescrição.

Palavras-chave: pressão arterial; tratamento não farmacológico; atividade física; exercício aeróbico; exercício resistido.

Abstract

The objective of this study was to analyze in detail the convergences found on the recommendations of physical exercise in hypertension among the Brazilian, American, International and European guidelines. It could be observed that all the guidelines for the treatment of hypertension highlight the insufficient level of physical activity as an important risk factor for the development of hypertension and only the Brazilian guidelines considers sedentary behavior as a relevant factor. The 4 societies consider the importance of performing aerobic exercise regularly, for at least 150 min per week. Dynamic resistance exercise appears as a complementary activity to aerobic in all guidelines, but in the European and international guidelines it is only mentioned and does not appear in the recommendations. It can be concluded that the exercise practice recommendations presented in the four guidelines converge in several points with the Brazilian guideline, providing more detail for the prescription.

Keywords: arterial pressure; non-pharmacological treatment; physical activity; aerobic exercise; resistance exercise.

Artigo 6

Abordagem nutricional na hipertensão arterial: recomendações das diretrizes Brasileira (DBHA), Americana (AHA), Internacional (ISH) e Europeia (ESC)

Nutritional approaches in hypertension: recommendations from Brazilian (DBHA), American (AHA), International (ISH) and European (ESC) guidelines

Lis Proença Vieira, Marcia Maria Godoy Gowdak, Marcia Regina Simas Torres Klein

Resumo

Umestilo de vida saudável pode prevenir ou retardar o início da hipertensão arterial sistêmica (HAS). O objetivo deste artigo é apresentar as recomendações dietéticas de acordo com as diretrizes para a prevenção e tratamento da HAS. As principais modificações dietéticas referem-se à adoção de um padrão alimentar saudável, rico em frutas, hortaliças, cereais integrais e laticínios magros, tais como a dieta DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension) e Mediterrânea. A ingestão adequada de potássio (4500 mg/dia) está inversamente relacionada à elevação da pressão arterial, ao passo que quantidades mais baixas de sódio (até 2 g/dia) podem prevenir a HAS, reduzir os níveis de pressão em hipertensos, bem como contribuir para a redução de anti-hipertensivos. O consumo excessivo de álcool (acima de 3 drinques/dia) favorece o aumento da pressão arterial, de modo que aqueles que fazem uso devem reduzir sua ingestão. Com relação ao peso, há uma relação direta entre aumento de peso e a elevação da pressão arterial. Recomenda-se a manutenção de peso corporal adequado para prevenção e tratamento da HAS e sua redução naqueles acima do peso, por meio da combinação entre diminuição da ingestão calórica, aumento da atividade física e suporte multidisciplinar. O impacto sobre a pressão arterial de outros alimentos e nutrientes (ex.: alho, café, cacau, suco de romã, suco de beterraba e vitamina D) tem sido estudado, mas ainda há necessidade de evidências mais robustas.

Palavras-chave: hipertensão, modificação de comportamento, dieta DASH, sódio na dieta, perda de peso.

Abstract

A healthy lifestyle can prevent or delay the onset of systemic arterial hypertension (SAH). The purpose of this article is to present dietary recommendations according to guidelines for the prevention and treatment of SAH. The main dietary changes refer to the adoption of a healthy eating pattern, rich in fruits, vegetables, whole grains and low-fat dairy products, such as the DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension) and Mediterranean diet. Adequate potassium intake (4500 mg/day) is inversely related to blood pressure elevation, while lower amounts of sodium (up to 2 g/day) can prevent SAH, reduce blood pressure levels in hypertensive patients, as well as contribute to the reduction of antihypertensive drugs. Excessive alcohol intake (above 3 drinks/day) increases blood pressure, so those who use alcohol should reduce their intake. Regarding body weight, there is a direct relationship between weight gain and blood pressure elevation. Maintenance of adequate body weight is recommended for primary prevention and treatment of SAH and its reduction in those who are overweight, through a combination of decreased caloric intake, increased physical activity and multidisciplinary support. The impact on blood pressure of other foods and nutrients (eg. garlic, coffee, cocoa, pomegranate juice, beetroot juice and vitamin D) has been studied, but more robust evidence is still needed.

Keywords: hypertension, behavior modification, dash diet, sodium, dietary, weight loss.